Como colocar os militares de volta na caverna? com Cel. Marcelo Pimentel, João Quartim, Edson Teles e Eleonora Lucena

A ferida mal curada da ditadura militar ainda dita a atuação de instituições da República, mesmo após a Constituição de 1988. A promiscuidade generalizada do governo Bolsonaro politizou as Forças Armadas. Esse fenômeno levou a farda para a política ou o Estado foi sequestrado para dentro do quartel?

 

Edson Teles    “É professor de Filosofia na Universidade Federal de São Paulo, coordenador do Centro de Antropologia e Arqueologia Forense da Unifesp e militante da Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos da Ditadura. Organizou, junto com Vladimir Saflate, o livro “”O que resta da ditadura?””(Boitempo); e, com Renan Quinalha, “”Espectros da Ditadura”” (Autonomia Literária). Publicou ainda o livro “”Abismo na história. Ensaios sobre o Brasil em tempos de Comissão da Verdade”” (Alameda). Tem escrito uma série de textos no “”Blog da Boitempo””, nos últimos anos, sobre a relação entre militares e política no Brasil.”

 

João Quartim Moraes Professor universitário, formado em Filosofia e em  Direito na  Universidade de São Paulo. Em 1968-69 participei da resistência clandestina à ditadura militar. Passei os anos setenta exilado na França. Lá continuei a carreira acadêmica, mas dediquei-me sobretudo ao jornalismo político. Após a anistia, voltei ao Brasil e desde 1982 sou professor na Unicamp, atualmente aposentado, mas colaborador. Publiquei vários livros e muitíssimos artigos no Brasil e na Europa.

 

Marcelo Pimentel Oficial do Exército na reserva (coronel). Formado na AMAN em 1987. Mestre stricto sensu pela Escola de Comando e Estado-Maior do Exército 2005-06.

Quando

29/09/2021

Convidados

Coronel Marcelo Pimentel, Edson Teles, João Quartim

Mediação: Eleonora Lucena